segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Bachelorette;

Apenas eu e o pulsar do meu próprio coração nos ouvidos, aceleradamente. Meus passos e a noite viajavam em um tropel nervoso, desafiando o tempo em sua dureza implacável a seguir-nos. Por súbita dormência meus pés pararam, e a dor revigorante de meu martírio tomou-lhes conta da carne. Ah! que mais podia eu desejar senão as lágrimas que me tomaram os olhos, pondo em matéria meus sentimentos? A simples demonstração do grandioso retumbar de meu peito. Pois que eu não podia deixar de fazê-lo ao vislumbrar tamanha prova de amor. Numa clareira crescia uma árvore de porte inigualável. Nada nascia próximo suas raízes entranhadas no solo, cancerosamente tomando-o as forças. Seus galhos retorcidos, devotamente erguidos na direção do firmamento nada faziam para aproximar-se de outros iguais. Crescia, era visível, toda em direção à luz. E que poderia ser mais triste e mais bonito? Tão longe estava do impassível sol, e ela nada sabia, em seu altruísmo, da grandiosa distância que os separava. Morria só. Contente apenas de ter o calor de seu amado dia a dia mais próximo, sem nunca experimentar a nirvânica sensação te tê-lo entre seus galhos e ser consumida por ele. Caí de joelhos no chão estéril, arrastando-me até tamanha beleza e tomei-lhe o enegrecido tronco nos braços. Oh! Que dor lancinante me tomava a alma, tornando meu corpo sadio quase enfermo. O sofrimento corrosivo de entender o inintendível para aquela criatura. A angústia gélida de entender o significado da dolorosa palavra. Impossível.

"I'm a tree that grows hearts,
one for each that you take.
You're the intruder hand,
I'm the branch that you break."
[Bachelorette - Björk]

6 comentários:

Rubens disse...

NAATHII!!!! =DDDDDDD
AMEI O BLOG!! *.*
:********

Éris #)~ disse...

Um texto que consegue nos fazer visualizar suas palavras e tocar seus sentimentos é sempre uma jóia rara. Parabéns. Outro texto maravilhoso, com os outros.

Leonardo Maciel disse...

Impossível só para os que não tentam, não ousam. Até voar, se voa!

Bejo e do caraleo seu texto!

Arlequim disse...

Ei! Adorei sua visita no blog. rs
Fico feliz que tenha gostado e adorei o termo "modernoso" haha
Você escreve muito bem.
Adorei aqui.
Beijão ;)

Rodrigo Oliveira disse...

Oi, Naathi. Vi seu comentário lá no blog. Passei pra agradecer (mesmo um pouco atrasado) as gentis palavras. Valeu!

Rodrigo Oliveira disse...

eu de novo aqui. seu comentario me deixou bem feliz. Só a parte de Letras que eu não concordo mo. Acho que pode até ajudar, mas há que se cuidar, que o curso de letras não é de literatura necessariamente (só uma parte). E conheço mto mais bons escritores de outras áreas do q de Letras (ainda q conheça bons de letras tb). Acho q as vivências extratexto é q compõe um texto atraente. Pq largar engenharia. Q tal fazer os dois? eheheheh e depois se internar, claro :)
beijo!!