domingo, 28 de novembro de 2010

Déjà vu;

- Sabia que eu vivo tendo déjà vu contigo?
- Déjà vu?
- Sim, aquela impressão de que você já viveu antes aquela mesma coisa. Eu tenho quando falo contigo o tempo todo, sei lá. É como se de alguma maneiras as besteiras que eu estava dizendo agora eu já tivesse dito antes da mesma maneira, como se eu me repetisse e repetisse incessantemente. E isso me assusta. Me assusta pensar que já vivi o que dava pra viver contigo e o que vai vir pela frente não passa de passado mascarado. Não que eu me importasse de reviver o passado, não, não me importa ficar pra sempre presa no mês de fevereiro, nem um pouco. Me importa não ter nada mais pra te mostrar, ou dar, ou fazer. Que meus gestos sejam todos previsíveis, que não te causem mais arrepio, que minha presença seja como uma sombra e que minhas palavras sejam déjà vu pra sempre. Me assusta que você se canse. E que você vá embora se cansar.

2 comentários:

Leandro disse...

Os dias sempre são diferentes um dos outros, assim como os acontecimentos e os gestos. Muito dificil ficar preso em tamanho loop!

É por isso que não dá para cansar tão fácil.


Amo!
<3

Pollyana disse...

tenso